O presente suspenso sem rede… e o futuro?

19 Março 2020 Factor H

E num instante o mundo parou! Tudo ficou suspenso à espera de que um milagre exista e que o pesadelo desapareça.

Num instante tudo passou para segundo plano e só uma coisa importa… a Vida! Num instante meio mundo ficou em casa e em poucos dias se arranjaram soluções nunca antes vistas!

A escola parou e os alunos passaram a trabalhar as suas matérias a partir de casa; os pais deixaram o escritório, as empresas e passaram a trabalhar à distância de um clique; as famílias passaram a reunir-se à mesa; os avós passaram a ligar-se aos filhos e aos netos através da tecnologia; os amigos começaram a reunir-se através de plataformas on-line; as cozinhas nunca tiveram tantos bolos em cima das bancadas; E… num instante os dias passaram a dar-nos tempo! Sim, aquele tempo que todos reclamavam que não tinham, num ápice se adicionou às 24h como se cada dia fosse maior.

Mas, depressa surge a pergunta. Até quando? Quanto tempo mais vamos aguentar este ritmo suspenso, sobre a corda sem rede? O equilibrista tem muitas horas de treino e a respiração fica suspensa quando atravessa a corda num espetáculo. E o ser humano sem treino e habituado a viver num ritmo alucinante conseguirá por muito tempo manter a sua vida em suspenso?

É urgente pensar no futuro. Não se sabe como vai ser; não se sabe como perspetivá-lo, mas uma certeza já temos. Nada será como dantes!

Há que repensar novos métodos; há que reconsiderar novas ferramentas de trabalho; há que verificar prioridades; há que abrandar e viver as 24h de cada dia sem que queiramos que tenha 48h.

Acredito que depois desta quarentena imposta por algo que não controlamos o mundo já não será como o conhecemos. As pessoas estarão diferentes e olharão para as suas famílias, amigos, empresas com uma perspetiva diferente e, com toda a certeza, valorizarão muito mais o diamante mais preciso do mundo. As pessoas!

O universo decidiu avisar e cabe-nos a nós escutar, reter e aprender a lição que nos foi dada. As pessoas são o bem mais valioso e, por ironia do destino (ou do vírus, para os mais céticos), num instante elas tiveram de unir-se e sentir saudades daquele café que ficou por tomar; da visita que ficou por fazer; do jantar que se adiou.

Somos Pessoas e, certamente, sairemos mais fortes e diferentes depois deste presente suspenso sobre a corda sem rede!

E, sim… Vamos Ficar Todos Bem!